• Drª Ivia Magalhães

Esteatose hepática: Causas e consequências

▶Muitas pessoas ainda acreditam que os problemas no fígado só podem existir em quem faz ingestão de bebida alcoólica, mas isso não é uma verdade. Se você está acima do peso, é sedentário, tem dislipidemia (alterações nos níveis de gordura”do sangue) na glicemia, não tem uma alimentação saudável, é sedentário, saiba que você também tem um risco aumentado de desenvolver alterações no fígado. O fígado gorduroso não alcoólico é uma condição que se tornou cada vez mais comum, à medida que o ganho de peso e a obesidade aumentaram significativamente na população. Ou seja, a medida que o estilo de vida da população se modificou.

▶Chamamos de doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA) a presença de gordura no fígado não relacionada ao uso de álcool. A NASH ( esteato-hepatite não alcoólica), é a esteatose hepática associada à inflamação hepática que pode progredir para fibrose avançada, cirrose e hepatocarcinoma (câncer)[J Hepatol. 2004 Apr;40(4):578-84. ].

▶ A doença hepática gordurosa não alcoólica é uma doença multifatorial e tem grande relação com a dieta inadequada e ao sedentarismo. Muitos estudos já têm demonstrado que a esteatose é tanto causa, quanto resultado de estresse oxidativo, disfunção mitocondrial, produção de citocinas pro-inflamatórias.O estresse oxidativo se estabelece quando há redução de antioxidantes ou quando há produção excessiva de espécies reativas de oxigênio. Há uma relação com a inflamação subclínica.

▶Alguns polimorfismos em genes que codificam enzimas antioxidantes podem predispor o paciente a desenvolver formas mais graves.

▶Uma meta-análise que incluiu 11 estudos analisou a progressão da fibrose em 366 pacientes com DHGNA. No geral, a fibrose progrediu em 132 (36%), permaneceu estável em 158 (46%) e melhorou em 76 (21%) [Clin Gastroenterol Hepatol. 2015;13(4):643]. Alguns estudos demonstram que os pacientes com esteato-hepatite não alcoólica correm maior risco de evoluir para fibrose.

▶Alguns estudos demonstraram que a doença cardiovascular é a causa mais comum de morte entre pacientes com doença hepática gordurosa nao alcoólica, tendo em vista que os fatores de risco são os mesmos. Um estudo relatou que o aumento da mortalidade em pacientes com fibrose NAFLD (medido pelo escore de fibrose NAFLD) foi devido quase exclusivamente a causas cardiovasculares [Hepatology. 2013 Apr;57(4):1357-65].

A esteatose hepática (gordura no fígado), em geral, não tem sintomas e é vista como “besteira” por muitas pessoas, mas saiba que essa condição pode evoluir para situações mais sérias se você não buscar ajuda profissional e reduzir todos os gatilhos para essa condição.

Várias terapias foram investigadas para o tratamento da doença hepática gordurosa não alcoólica, porém a mudança do estilo de vida é a prioridade terapeutica, tendo em vista que reduzirá os fatores de risco relacionados a outras condições. Perda de peso, aumentar a ingestão de omega 3 (com orientação médica), estratégias antixoxidantes, e até, em alguns casos, probióticos, são apenas algumas das intervenções de um protocolo personalizado respeitando a individualidade bioquímica de cada paciente. Em geral, as pessoas não sabem por onde começar e torna-se importante o acompanhamento médico e de uma equipe multidisciplinar.


Av. Tancredo Neves, 2915, CEO Salvador Shopping, Torre Nova Iorque, sala 1702 - Caminho das Árvores - Salvador, BA, Brasil - 41820-021

Drª. Ivia Magalhães

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon

© 2020 por Ivia Magalhães.